dd

Carandiru no lugar que merece

O filme Carandiru é só mais um produto de uma elite intelectual viciada em drogas que acha que sequestro e terrorismo é uma forma de manifestação política, e que utiliza todas as suas forças e intelecto para convencer/emburrecer a sociedade brasileira de que ela seria culpada pela criminalidade, e para isso utiliza os recursos da própria sociedade via verba publica.

Segue a mesma trilha de Ônibus 474 e Cidade de Deus, também grandes sucessos por aqui e que colocam os marginais como estrelas/vitimas/mártires e a sociedade como vilã.

Tudo isso mesmo quando todo mundo sabe que o maior partido político de oposição da recente era democrática e ganhador das ultimas eleições presidenciais, tem relações comprovadas por documentos com os maiores vendedores de drogas às gangs do pais, sem falar nas relações do atual presidente da republica com mega assassinos internacionais do tipo Fidel e Kadafi, e no inesquecível episódio quando um senador do mesmo partido passou a noite dentro de um presidio em rebelião para, pasmem - defender os condenados.

Outro exemplo de promoção em larga escala da idiotização publica na mídia artística é a novela "Kubanacã" onde a reprodução de um cenário de ditadura com semelhanças
desde o titulo até aos cenários à Cubana, e que sob a ótica da comédia besteirol tenta disseminar a percepção que ditaduras não passam de situações cômicas e que o Pais que obviamente serviu de inspiração à série seria um lugar paradisíaco e farto de mulheres saudáveis e felizes sempre a disposição, bem longe da realidade das prisões e assassinatos políticos ou da miséria que faz com que pessoas se atirem ao mar aberto para fugir da Ilha cárcere do modelo real.

Bem..... se a ditadura brasileira foi realmente um piquenique, e isso pode ser comprovado pela sobrevivência e prosperidade de quase a totalidade dos que militaram contra ela, não a favor da democracia, mas a favor de implementar uma ditadura comunista ao estilo stalinista, os exemplos vão desde Chico Buarque até Oscar Niemayer passando pelo atual presidente da republica e seus atuais ministros ex-guerrilheiros (presidente que que foi até preso, julgado e ABSOLVIDO do crime de assassinato em pleno regime de exceção) , não se pode dizer o mesmo das ditaduras esquerdistas e ou religiosas que mataram e continuam a matar uma quantidade de pessoas que guerra ou catástrofe natural alguma jamais chegou perto.

Na republica idiotizada verde e amarela, tanto Carandiru como os outros exemplos citados foram amplamente festejados com sucesso absoluto da critica dita especializada e conseqüentemente de bilheteria.

Se os brasileiros já foram o suficientemente emburrecidos pela cerrada e maciça propaganda esquerdista para se sentirem os culpados pelo seu próprio aniquilamento perante o poder da criminalidade a ponto de aplaudir tais excrescências, a platéia
estrangeira colocou a "obra" no seu devido lugar sob vaias no festival de Cannes, para indignação da nossa elite pseudointelectual parasitária de patrocínio público.