dd

Medalhas e verdades

Dalton C. Rocha*

Na quinta-feira, dia 23 de outubro de 2003, o Presidente Lula em uma única cerimônia condecorou, com a medalha da Ordem do Mérito Aeronáutico, 192 personalidades. Dentre os 192 agraciados, com tal medalha, há seis governadores e cinco ministros. Um outro agraciado famoso é o Presidente da Câmara, o petista João Paulo Cunha.
Pobre FAB. O mais novo "caça" da FAB tem mais de 22 anos de uso; já era de terceira linha, quando chegou. Desde o início da "Nova República", nenhum caça novo foi comprado pelo Brasil. Sarney gastou bilhões de dólares em carne radioativa, para manter o cruzado e em petróleo superfaturado de Saddam. FHC num único dia, doou mais de US$1,5 bilhão para os finados bancos Marka e Fonte Cidam. Lula deu bilionárias doações a Fidel Castro e Hugo Chavez. São muitos presidentes, neste regime, mas nenhum deles teve a coragem de comprar um caça novo para a FAB. Toda a frota que hoje ainda voa, está há anos condenada para o vôo e foi toda ela fabricada durante o Regime Militar, extinto há mais de 18 anos. Bilhões foram doados a Saddam, banco Marka, Fidel & Cia. Enqunato isto, toda a frota da FAB é apenas sucata que eventualmente voa.
A frota de ataque da FAB é outra piada. A estrela são os xavantes. O mais novo deles tem vinte anos de uso. Alguns já fizeram trinta anos. Todos já tem vida útil esgotada. Os outros são os AMX. Menos velhos, mas ainda assim, são poucos e com eletrônica já obsoleta. Ainda por cima, toda a frota de aviões de ataque da FAB vive no chão, sem combustível ou peças de manutenção. Os aviões que levam cocaína da Colômbia e maconha do Paragüai, passam tranqüilos, pois Lula não aceita a hipótese da FAB ter condições de derrubá-los.

Quanto aos aviões de transportes, nenhum dos cinco presidentes da "Nova República" comprou um único avião de transporte novo de razoável capacidade, para a FAB. Todos os Hércules C-130 da FAB foram fabricados durante o Regime Militar. Eles voam pouco, por falta de combustível e manutenção.

O que se vê em resumo é que desde 1909, existem aviões militares no Brasil. Nestes quase cem anos, jamais os aviões estiveram tão velhos, sucateados e seus tripulantes jamais foram tão mal pagos e tão humilhados. O risco de morte na FAB é hoje muito maior, que há mais de trinta anos, quando os atuais ocupantes do poder assaltavam bancos e matavam militares. Está tão perigoso voar na decrépita frota da FAB, que durante a recente guerra contra um iraquiano amigo de Lula, por hora de vôo era mais de cem vezes mais perigoso voar, numa aeronave da FAB, que voar sobre o Iraque numa aeronave da USAF, para atacar as forças do amigão de Lula, o deposto Saddam Hussein. Enquanto isto, o absurdo número de medalhas ditas de "Ordem do Mérito Aeronáutico" espanta. Foram 192 medalhas em um único dia. Pior ainda é se
ver que os agraciados são precisamente, os responsáveis maiores pelo sucateamento das Forças Armadas.
Aonde tanto "mérito aeronáutico" se não há nenhum aeroporto importante em construção no Brasil? Que "mérito aeronáutico"existe, em fazer um Brigadeiro da FAB ganhar, menos que um Soldado Raso americano, servindo no Iraque? Que "mérito aeronáutico" é este de expor os pilotos da FAB , a mais de cem vezes maior mortalidade, que os pilotos que depuseram o amigão de Lula, no Iraque? Que "mérito aeronáutico" é este, de colocar os "caças" da FAB, num nível bem inferior ao dos caças da Força Aérea Etíope? Não seria melhor trocar o nome desta medalha de "Ordem do Mérito Aeronáutico", para medalha da "Ordem do Escárnio Aeronáutico" mesmo?
Ora quem decide quantas medalhas que, devem ser dadas e a quem, é o Presidente da República. Lula simplesmente mandou cunhar centenas de medalhas. A penúria de aviões ou de horas de vôo da FAB é contrastada pela, montanha de medalhas que Lula vive entregando. Os sucateados e imprestáveis caças da FAB contrastam com medalhas novinhas, reluzentes.
Um motivo para tal súbito milagre da multiplicação de medalhas é, o óbvio motivo de Lula querer premiar os amigos de mais uma forma. O Lula adora dar vastas tetas estatais a amigos e aproveita para mandar cunhar medalhas, de material barato, para premiar mais ainda seus cupinchas e bajuladores. Ainda por cima, Lula ainda humilha pessoas que no passado fizeram por merecer, a tal medalha da Ordem do Mérito Aeronáutico. Ele as humilha, nivelando seus bravos esforços às patifarias e escárnios de seus amigos. De repente, aqueles que tanto fizeram, para elevar a FAB no passado,
agora tem que suportar a humilhação de verem vistosas medalhas reluzindo no peito dos que hoje a humilham e exterminam impiedosamente seus pilotos em sucatas imprestáveis. Se a FAB é impossibilitada de voar, os apoiadores das FARC e demais narcoguerrilhas desfilam com uma medalha da "Ordem do Mérito Aeronáutico" orgulhosos.
Lula "das Medalhas" desfila feliz, pois acha que impondo escárnio e distribuindo medalhas a quem nunca as mereceu, terá mais respeito da sociedade. Na verdade, tal inflação de medalhas irá é desqualificar o Presidente Lula. Com tanta medalha e tão pouca verba, a FAB implora socorro e talvez apenas pena. A decepção popular com tantas medalhas e tão poucas soluções para as suas aflições, leva o povo a perder qualquer esperança ainda existente com este governo. Com tanta medalha jogada no chão, por aí, o terreno está firme para todo tipo de aventureiro que prometa acabar com tantas medalhas e com tão escassas esperanças.



Autor: Dalton C. Rocha. Engenheiro Agrônomo desempregado.
E-mail:dalton@fortalnet.com.br