dd

Acuado Dirceu compara MP a Gestapo

Marcelo

Quando o "companheiro" Procurador Luis Francisco, notório simpatizante petista atacava ferozmente o governo de FHC os petistas batiam palmas. Vale lembrar que o procurador Luis Francisco, que até seu ingresso no Ministério Público, era filiado ao Partido dos Trabalhadores, tinha bom motivos para atacar o governo pois estava preparando o terreno para o seu partido chegar ao poder o que explica o seu misterioso silencio depois que Lula chegou ao Planalto.

Agora que o MP resolve investigar o governo do PT o ex-terrorista Jose Dirceu (vulgo "Daniel") tem a cara de pau de chamar o MP de nazistas e compará-los a Gestapo. Ou seja como o PT era pedra o MP era otimo, agora que é vidraça é a Gestapo, muito interessante essa linha de pensamento de Jose Dirceu.

O mais incrível que o ex-terrorista Jose Dirceu, que fez treinamento de guerrilha terrorista em Cuba é atualmente o todo poderoso Ministre Chefe da Casa Civil, o homem forte do governo. Quando ex-terroristas chegam ao poder, quando o MP é ameaçado e ofendido quando procurar descobrir as sujeiras do governo é que algo muito grave esta por vir.
Esse é o Estado Democrático Socialista do PT...


Jornal do Brasil 12/09/2004


BRASÍLIA - O chefe da Casa Civil, José Dirceu, voltou a atacar o Ministério Público ontem. Em programa de TV, ele defendeu a criação de limites para o poder de investigação do MP, afirmando ser ''evidente a politização'' do órgão e acusando promotores de cometerem abusos em suas investigações.

- Estão acontecendo abusos inadmissíveis. Em alguns casos, estão se constituindo pequenas células que passam a investigar acima da lei. Não é que sejam métodos heterodoxos, são métodos ilegais. A lei não permite. Está evidente a politização. Muitas vezes há participação eleitoral - acusou Dirceu, em entrevista ao programa Espaço Aberto, da GloboNews.

O chefe da Casa Civil afirmou que promotores ''têm de sofrer as conseqüências da lei'' e alertou para o surgimento de ''pequenas Gestapos'' no Brasil, em referência à polícia secreta do governo nazista alemão:

- É muito perigoso. Se não resolvermos isso, o próprio Ministério Público vai ficar desprestigiado. No fundo, começam a funcionar pequenas polícias secretas, que podem tudo e fazem tudo.

Para Dirceu, os promotores e procuradores não podem conduzir investigações ''acima da lei'' e precisam voltar a exercer suas funções constitucionais.

- Eles não podem violar os procedimentos internos a que estão sujeitos - afirmou o ministro.

A possível proibição para procuradores da República e promotores de Justiça de comandarem investigações criminais por conta própria está sendo analisada pelo Supremo Tribunal Federal. O julgamento foi interrompido no começo do mês, com um placar favorável ao Ministério Público: 3 votos a 2. A expectativa é de que o STF opte por uma solução meio-termo para o caso, admitindo certos tipos de investigação, mas impondo restrições à atual forma de atuação, considerada sem regras e limites.

As declarações de Dirceu foram rebatidas pelo presidente da Associação do MP do Estado do Rio de Janeiro (Amperj), Marfan Martins Vieira, como ''retórica leviana e pueril'' e ''postura hostil''.

Marfan Martins Vieira lamentou que Dirceu tenha dito que o órgão atua pautado por interesses eleitorais:

- O MP não se vincula a partidos políticos e não lhe interessa o favorecimento ou a ruína de quem quer que seja - afirmou o presidente da Amperj, em nota oficial.

O procurador-geral da Justiça de São Paulo, Rodrigo César Rebello Pinho, considerou infeliz a comparação com a Gestapo:

- O Ministério Público atua estritamente dentro da legalidade. Eventuais abusos, que podem existir em qualquer instituição, estão sendo apurados pela corregedoria. A instituição jamais se opôs a qualquer controle interno ou externo.