dd

COMA FEZES, FAZ BEM À SAÚDE !!!

CÁSSIO GUILHERME

O título escandaloso desse artigo vai orientar nossa tese de que o poder da mídia em geral no Brasil não encontra limites. Outrora, principalmente antes do advento da televisão, a consciência crítica e o conhecimento em geral das pessoas eram adquiridos pela convivência familiar e pelas aulas obtidas nas escolas e nos cultos religiosos. A capacidade de entendimento de nossa realidade era construída de forma gradual e harmônica e a distinção entre o que era bom ou mal, certo ou errado, saudável ou não era de certa forma clara nas mentes das pessoas, mesmo daquelas analfabetas. Todo mundo tinha noção de que beber água suja não era uma boa idéia, ou de que Jesus Cristo era uma referência de paz ou bondade.
Depois do aparecimento da televisão e da mídia de massa a situação começou a avacalhar-se de vez.

A tela e o que ela mostrava substituiu a família, o professor, o pastor, o amigo, o conselheiro, o sábio e passou a representar a referência conceitual de tudo para as pessoas, sobretudo os mais jovens e inocentes. Vivemos num mundo onde a informação é moldada e distorcida a bel-prazer da mídia (jornais, revistas, rádio e sobretudo televisão). Na década de 70 e início de 80 a Rede Globo se mostrou como uma entidade espiritual e não uma emissora de televisão. No momento, todas as emissoras cumprem esse papel. Quando dizemos entidades espirituais, queremos afirmar que esses veículos de comunicação não se limitam apenas a entretenimento e jornalismo mas são verdadeiros conglomerados de dominação da opinião das pessoas.

As informações são truncadas e distorcidas, mensagens ideológicas aparecem subliminares em anúncios comerciais, as noções do que é bom ou ruim são ditadas pelos manipuladores da mídia. Lembram-se das “diretas já” que a Globo escondeu e depois mostrou de forma parcial? Lembram-se da queda do Collor, dos escândalos dos anões do orçamento , dos “Anos Rebeldes”, das informações privilegiadas das privatizações e muitos outros?A situação é tão escandalosa que se a mídia afirmar de uma hora para outra que Jesus Cristo era um assassino camuflado ou que comer fezes faz bem a saúde, no outro dia vários grupos vão acatar a essas informações como verdadeiras e inclusive difundirem essas aberrações.

Outra tática da mídia é expor o Poder Judiciário ao confronto com o público, quando os interesses da grande mídia estão sendo ameaçados. Se algum desembargador ou juiz se atreve a questionar as atitudes das emissoras de televisão é imediatamente execrado e pressionado a retroceder, não importa se o fato é verídico ou mentiroso. Isso representa agressão torpe ao Estado democrático de direito e esfacela qualquer confiança da população na Justiça.

Precisamos, enquanto cidadãos participativos e conscientes do nosso papel na sociedade, abominar esse poder da mídia. Não podemos ficar passivos diante desse festival de mediocridades que ameaçam a integridade da família e da nação. Vamos desligar os aparelhos de TV e conversar mais com nossos pais e nossos filhos, dialogar mais com nosso grupo social. Ou seremos exterminados pelos anjos diabólicos dessa mídia acéfala e corrupta.