dd

O MANIFESTO INTEGRALISTA DE 1.932

(*) Acácio Vaz de Lima Filho

Setenta e dois anos são passados, desde que, em Outubro de 1.932, PLÍNIO SALGADO lançou o seu “Manifesto À Nação Brasileira”, ato inaugural do surgimento da “Ação Integralista Brasileira – A.I.B.”, ulteriormente do “Partido de Representação Popular”, e, por fim, da “Confederação dos Centros Culturais da Juventude” (O movimento Águia Branca). E a inveterada campanha difamatória lançada ao longo deste tempo contra o Integralismo; campanha partida de fontes marxistas, filo-marxistas e liberais, faz surgir a necessidade de esclarecer a geração atual sobre quem era PLÍNIO SALGADO, o que é o Integralismo, e quais os seus propósitos.

Em recente artigo publicado no jornal “O Estado de São Paulo”, o insigne PROFESSOR MIGUEL REALE, com a autoridade do antigo Secretário Nacional de Doutrina da Ação Integralista Brasileira, abordou o assunto (Vide “O Integralismo Revisitado”, edição de 28-8-2004). “Grêmio Cultural Jackson de Figueiredo”, tendo dar a minha contribuição sobre a matéria.

O primeiro ponto a ser elucidado, é o relativo a ter sido, a Doutrina do Sigma, uma concepção do Universo do Homem, de cunho nitidamente espiritualista. Neste sentido, o Manifesto de 1.932 assim tem início: “Deus dirige o destino dos povos”. Assim, o Integralismo surgiu se opondo à concepção materialista posta em voga pelo Marxismo-Leninismo. Sucede que a doutrina de PLÍNIO SALGADO se opunha radicalmente, TAMBÉM, ao materialismo da concepção liberal-burguesa da Sociedade!... Este ponto é maldosamente escamoteado pela mídia em parte, dotada de uma ignorância crassa em História que timbra em apresentar os “camisas verdes” como cães de fila do capital. Isto é injusto e mentiroso: no livro “O Espírito da Burguesia”, PLÍNIO SALGADO demonstra, de maneira irretorquível, em primeiro lugar, que a Burguesia, antes de ser uma classe social, é um estado de espírito, marcado pelo egoísmo e pelo comodismo, e, em segundo lugar, que o comunista e burguês – ambos materialistas – são o verso e o reverso de uma só realidade...

O Integralismo foi a primeira doutrina filosófica e política a valorizar as raças formadoras da Nação Brasileira: o lusitano, o índio e o negro – em uma época em que os “intelectuais” da moda, influenciados – ainda! – pelas doutrinas européias de CHAMBERLAIN e de GOBINEAU, falavam dos indígenas e dos afro-descendentes como de “raças inferiores”.

Nesta ordem de idéias, e insurgindo-se contra o reducionismo da Ciência do Século XIX, a Doutrina do Sigma proclamou que não havia causas isoladas para os fenômenos.

Esta foi a doutrina Integralista, que, na ordem política, econômica e social, preconizou o Estado Ético (isto é influenciado pela moral) e buscou uma “terceira via”, entre os excessos do individualismo burguês e os coletivismo do Comunismo.

E PLÍNIO SALGADO? Inteligência polimorfa e espírito culto, foi pensador, ideólogo, historiador romancista e ... poeta.

Fosse este um país sério, e os seus livros “O Estrangeiro”, “O Esperado”, “O cavaleiro de Itararé” e “A voz do Oeste”, seriam de leitura obrigatória na Escola Média. Cultuasse este país a sua própria história, e os cadetes de todas as escolas militares, os alunos das Escolas de Sargentos, e os reservistas em geral, seriam levados a decorar o “Poema da Fortaleza de Santa Cruz”, também de PLÍNIO SALGADO.
O papel desempenhado pelos integralistas na recente História do Brasil, atesta a importância da Doutrina do Sigma.

A revolução de Março de 1.964 foi deflagrada por um integralista, o GENERAL OLYMPIO MOURÃO FILHO. O vigente Código de Processo Civil resultou do labor de um outro integralista, o PROFESSOR ALFREDO BUZAID. A “Teoria Tridimensional do Direito” do PROFESSOR MIGUEL REALE (que poderia ser chamada de “Teoria Integral do Direito”), reflete a concepção do Universo e do Homem defendida por PLÍNIO SALGADO. E o novo Código Civil foi o fruto do trabalho de uma comissão de juristas chefiada pelo integralista MIGUEL REALE!... indo além, a Igreja Católica, no Brasil, começou a se preocupar seriamente com os problemas sociais, pela voz do integralista PADRE HÉLDER CÂMARA. Quando a Revolução de Março de 1.964, desviada da sua pureza original, desembocou em uma tecnoburocracia insípida, foi o integralista PROFESSOR GOFFREDO DA SILVA TELLES JUNIOR quem, na “Carta Aos Brasileiros”, externou os reclamos da nacionalidade!...

Hoje, quando a mídia, a serviço de interesses internacionais inconfessáveis, aponta como modelo para os jovens um “Cazuza” homossexual e usuário de drogas, redobra o meu orgulho pelo fato de, em minha juventude, ter pugnado valores da tríade “Deus, Pátria e Família”, na qual continua a acreditar, pois busco vivenciar o conselho com que PLÍNIO SALGADO encerra o “Código de Ética do Estudante”: “Se és incapaz de sonhar, nasceste velho. Se os teus sonhos te impedem de agir segunda a realidade, nasceste inútil. Se, porém, és capaz de transformar sonhos em realidades, e tocar as realidades que encontras com a luz dos teus sonhos, então, tu serás grande na tua Pátria, e a tua Pátria será grande em ti!”

Acácio Vaz de Lima Filho, Bacharel, Mestre e Doutor em Direito pela U.S.P. (Largo de São Francisco), é advogado e professor da Universidade Presbiteriana Mackenzie.

“GAZETA DE SÃO JOÃO”, SÃO JOÃO DA VOA VISTA, 23-10-2.004, SÁBADO, PÁGINA 4.