O FRACASSO DE MARTINHO LUTERO

 CÁSSIO GUILHERME, PRESIDENTE DO MOVIMENTO INTEGRALISTA E LINEARISTA BRASILEIRO( MIL-B), FUNDADOR DO LINEARISMO

 
                               O nome Martinho Lutero é muito conhecido entre as pessoas das mais diversas classes sociais ,culturais e acadêmicas. O Grande Teólogo alemão, que em 1517 afixou nas portas do Castelo de Wittemberg as 95 teses que derrubaram a dogmática católica, que imperava no mundo há mais de 1500 anos até então, tem seu nome cravado nos diversos livros de História que estudamos. O principal objetivo das teses de Martinho Lutero foi o de questionar profundamente a mercantilização da Fé, o comércio absurdo da crendice popular, a deturpação aviltante da palavra do Cristo exercida pelos clérigos da época. Isso é o que nos ensinam os livros de História. Para exemplificar esse intento, basta citarmos o fato de que durante toda a Idade Média, mais de 2 toneladas de madeira foram vendidas à população como sendo madeira da Cruz de Cristo, algo que daria tecnicamente para erigir mais de 1200 cruzes de mesma proporção daquela do Gólgota. Mas o que queremos analisar nesse artigo são duas perguntas cruciais para o entendimento do fato ocasionado por Martinho Lutero, a chamada Reforma, e suas conseqüências para a Humanidade desde aquele momento: Será que os questionamentos de Martinho Lutero surtiram efeito prático, e será que Martinho Lutero realmente quis abalar teologicamente os pilares do Cristianismo, sobretudo do ponto de vista da Igreja Católica??
                     Como todos sabem, Martinho Lutero foi notável e insigne Acadêmico, tendo-se formado em Teologia em Erfurt e obtido o Grau de Doutor em Wittemberg, na Alemanha. Desde estudante e membro da Ordem Agostiniana, levantou várias dúvidas inerentes à  dogmática católica, principalmente a venda indiscriminada de indulgências como meio de salvação do cristão, o que rendia vultosos lucros a Igreja Apostólica Romana. Lançou então a premissa de que: “ Deus não nos julga pelas obras ou pelos pecados, mas pela fé” (a famosa Teoria da Justificação pela Fé). Fato também de crucial importância é:  Martinho Lutero foi um dos primeiros sábios a traduzirem a Bíblia do Latim e Grego para o alemão medieval, e conhecia muito bem as escrituras e o que estava contido nelas. Podemos afirmar também que  as propostas de Lutero revolucionaram todas as interpretações do Cristianismo moderno e contemporâneo. Com isso, criou-se um cisma entre os cristãos, entre Católicos e Evangélicos e depois com a criação de novas Seitas, incluindo Pentecostais e Neo-Pentecostais, tivemos mais separações e confrontos.  Muito embora a força teórica de Lutero viesse de suas crenças e estudos, ele angariou o apoio de gente muito influente na Europa, principalmente na Alemanha.  Obteve o apoio dos Humanistas, dos jovens de Wittemberg, de parte do clero descontente com Roma e principalmente dos nobres que queriam a todo custo “ colocarem as mãos nos Bens da Igreja”.  Portanto, à luz de uma interpretação crítica da História, os atos de Martinho Lutero tiveram mais motivações financeiras do que realmente teológicas( aliás, como a maioria dos fatos Históricos relevantes que conhecemos).
                        Transportemo-nos agora para o Séc XXI. Não temos mais venda de indulgências em Praça Pública, mas grande parte das Igrejas Evangélicas e mesmo Católicas usam a palavra do Cristo como lanterna de guia para os fiéis obterem principalmente vantagens econômicas. Ao invés da redenção, do Bem e da caridade (virtudes pregadas pelo Cristo no Novo Testamento), o que os cristãos do Séc XXI mais buscam de fato é sucesso nos negócios, riquezas, prosperidade, mais prazer no sexo, mais hedonismo. E nesse festival de blasfêmias os devotos podem fazer o “ Jejum do milionário”, podem rezar em grupo para aumentar os lucros das empresas, podem comprar vários objetos de valor sacramentário, podem fazer a “ oração da fortuna”, podem adquirir os “ terrenos no céu com frente para o mar”,  podem ungir-se com o óleo milagroso dos empresários, e mais um sem-número de promessas,  tudo com vistas a materialidade, o mínimo de espiritualidade envolvido. Será que essa situação do nosso século tecnológico difere da situação que existia no mundo no final da Idade Média?? Será que se Martinho Lutero tomasse uma Máquina do Tempo e se projetasse para o futuro, encontrando esse estado de imediatismo de resultados financeiros, ousaria falar que suas teses foram realmente revolucionárias?? Será que a Ciência do nosso tempo, tão segura de seus sucessos e triunfos, é capaz de frear o misticismo e a crendice da população??
                        Cumpre-nos ainda esboçar uma análise para responder as perguntas do início desse texto.  Primeira pergunta: Será que os questionamentos de Martinho Lutero, que tanto alvoroço criaram no Mundo em sua época, surtiram realmente efeito para posteridade?? A resposta é obviamente NÃO, pois nunca a Fé foi usada com tanto ardor como mera mercadoria, em pleno Séc XXI, como temos observado atualmente; as indulgências pareceriam brincadeira sem-graça perto dessa usurpação e dessa orgia. Segunda pergunta, e mais devastadora: Será que realmente Martinho Lutero quis abalar os dogmas do Cristianismo, sobretudo os Dogmas da  interpretação católica, em termos teológicos?? Claro que NÃO, pois parece-nos que Martinho Lutero, que foi protegido inclusive por Reis para não ser morto, teve, mesmo que inconscientemente,  uma intenção de beneficiar grupos ávidos por se apropriarem das riquezas da Igreja Católica. Se Lutero quisesse corajosamente  questionar os parâmetros dogmáticos teológicos do Cristianismo, teria tido a lucidez de comparar o Antigo Testamento com o Novo Testamento, e concluir que do ponto de vista da exegese teológica o Deus vingativo e carniceiro do Antigo Testamento jamais poderia ser o mesmo Deus do Perdão e da Aceitação do Cristo. Isso sim seria questionar a base teológica da cristandade( ele conhecia profundamente a Bíblia). Sem contar que aproveitadores da pior espécie como Calvino e Henrique VIII usaram as premissas de Lutero para amealharem riquezas e tesouros que garantiram a eles vidas bem mais materialistas do que espiritualistas. Lembremo-nos de que as idéias de Calvino formaram o pilar teleológico do que chamaram mais tarde Capitalismo e a aceitação da usura pelos cristãos, o que contraria frontalmente a palavra do Cristo.
                        Em resumo, o terremoto criado por Martinho Lutero só serviu para consolidar o Poder de determinados usurpadores e gananciosos, só serviu para criar atritos entre cristãos e muitas matanças e dissensões, só serviu para criar ruptura no seio do Cristianismo, só serviu para questionar politicamente o poder da Igreja, nunca Teologicamente. Infelizmente, por mais altivos que fossem os objetivos de Lutero no início de sua luta( e queremos acreditar nessa pureza de ideais), em vista dos fatos atuais, da absurda monetarização da palavra do Cristo, podemos afirmar com certeza: “ Senhor Martinho Lutero, o senhor fracassou e ficaria triste ao ver o que aconteceu com seus pensamentos. Vamos rezar para que Deus dê descanso a sua alma”!!!!