dd

OS VAMPIROS LIBERAIS

CÁSSIO GUILHERME, PRESIDENTE DO MOVIMENTO INTEGRALISTA E LINEARISTA BRASILEIRO, FUNDADOR DO LINEARISMO

“ A SAFADEZA DOS HOMENS É UM CONCEITO MATEMÁTICO: DEFINE-SE COMO O INVERSO DO QUOCIENTE ENTRE O NÚMERO DE MENTIRAS QUE OS HOMENS CONTAM, PELO NÚMERO DE OTÁRIOS QUE ACREDITAM NELAS, MULTIPLICADO PELO TEMPO QUE OS OTÁRIOS PERMANECEM OTÁRIOS.”

              Um dos conceitos filosóficos mais desenvolvidos nos últimos 250 anos foi o conceito de Liberalismo. Segundo os filósofos dos Sec XVIII, XIX e XX, o Liberalismo é uma posição de Estado onde impera a livre iniciativa, a não-intervenção estatal, a propriedade privada, a igualdade formal entre os Homens, a livre concorrência de preços e a existência e obrigatoriedade do Estado Mínimo. “Ditos” filósofos e pensadores como John Locke, Adam Smith, Stuart Mill, Jean Jacques Rosseau, Thomas Hobbes, Max Weber, Robert Filmer e outros esforçaram-se em desenvolver as bases científicas dessa forma de pensamento, que se tornou uma cartilha a ser seguida pelos países “ progressistas e desenvolvimentistas”. O escocês Adam Smith, propôs na sua principal obra “Investigação sobre a Natureza e as Causas da Riqueza das Nações” que os pré-requisitos para o Liberalismo Econômico e a prosperidade das nações seriam: o combate aos monopólios, públicos ou privados; a não-intervenção do Estado na economia e sua limitação às funções públicas de manutenção da ordem, da propriedade privada e da justiça; a liberdade na negociação do contrato de trabalho entre patrões e empregados; e o livre comércio entre os povos. Adam Smith propôs também que quando existe liberdade na sociedade "os homens voltados para seus próprios interesses são conduzidos por uma mão invisível... sem saber e sem pretender isto, realizam o interesse da sociedade". A partir dessa salada de mentiras filosóficas, os Estados modernos parecem querer seguir essa empulhação teórica como meio de melhorar a vida dos cidadãos e combater a desigualdade social e as explorações do Capital ao Trabalho. Vamos mostrar que a prática que temos observado nos ditos Estados Liberais ou mais modernamente, Neo-Liberais, prova que a falácia de liberalismo não se sustenta por muito tempo.

              Desde o golpe do internacionalismo burguês chamado de Revolução Francesa, grande parte dos países do Ocidente “ exercem” o modelo liberal de governo. O interessante é que países ditos defensores ferrenhos do Liberalismo parecem não seguir o que defendem. Quase todos os filósofos citados acima tiveram escravos e nunca se preocuparam em libertá-los em nome do benefício da democracia liberal. Outro exemplo mais moderno, estamos observando que as empresas norte-americanas de créditos imobiliários estão quebrando uma a uma, por má administração de fundos, e adivinhem quem apareceu para salvar as empresas com mais de 1 trilhão de dólares em recursos?? O Estado. No caso das maiores empresas americanas e européias, como a Lockheed, a GM, a IBM, a Microsoft, a Exxon Mobil e as construtoras, se não fosse o Capital de Giro do Estado Americano e os investimentos estatais e de empréstimos de Estados Europeus, além das operações financeiras de seguros, já teriam quebrado há muito tempo. Observem a “livre concorrência” na Europa: os produtos agrícolas são em 80 % dos países europeus subsidiados pelo governo, e os produtos de países emergentes sofrem duras taxações quando tentam entrar nesses mercados. Pois bem, onde está a livre concorrência?? Onde está a não-intervenção estatal?? As maiores empresas de pesquisa dos EUA, que recebem gigantescas somas de recursos para desenvolvimento de tecnologia são estatais: a NASA E AS FORÇAS ARMADAS AMERICANAS. A Exxon Mobil, que causou um derramamento de óleo gigantesco no Alaska em 1989, com o petroleiro Exxon Valdez, recebeu ajuda de seguros e indenizações sabem de quem?? Da “Mão Invisível”, para nós bem visível chamada de Governo!!

              Vejamos o caso do Brasil. Recentemente, Bancos fraudulentos que deram golpe de bilhões na sociedade foram socorridos pela mão bondosa do Estado. É o caso dos Bancos Econômico, Bamerindus, Nacional, Marka, Fonte Cidam, Opportunity e outros. A Vale do Rio Doce, o maior escândalo da História Econômica do Brasil, recebeu e recebe dinheiro de investimentos do BNDES. É muito comum os liberais vociferarem: agora a Vale está dando lucro!! Agora a telefonia funciona a contento!! Pois bem, nós respondemos a eles: retirem o BNDES dos investimentos dessas empresas e vamos ver o lucro da Vale e das Telecom estrangeiras!!. E os casos da Variglog e dos Mega-investidores Naji Nahas, Sérgio Naya e Daniel Dantas?? Todos muito bem informados com os papéis do governo, e suas aplicações monetárias, não havia nada de iniciativa privada. Isso sem contar que no Brasil, 90% das pesquisas tecnológicas são financiadas com dinheiro público, sobretudo concentradas nas Estatais e nas Universidades Federais. O que seria da Votorantin, da Norberto Odebrecht e da Camargo Correa sem as obras do governo?? O que seria da Alston francesa e das gigantes automobilísticas instaladas no Brasil, sem a mão prestativa e acolhedora do Estado a lhes oferecer pragmáticas formas de pagamentos de impostos, com prazos de isenções de até 20 anos para pagar?? O que seria da Petrobrás, sem a ajuda da pesquisa de ponta desenvolvida na COPPE do RJ, uma entidade estatal?? O que seria da Embraer sem os estudos do Instituto Tecnológico da Aeronáutica, entidade de ensino estatal?? Quantas empresas dominam o mercado de cimento no Brasil?? Apenas três. Quantas empresas dominam a distribuição de trigo para o mercado brasileiro?? Apenas cinco. Quantas empresas dominam as exportações de frutas e legumes de qualidade para o exterior?? Apenas quatro. Quem assumiu as dívidas trabalhistas das empresas ferroviárias ( RFFSA) e de energia quando foram privatizadas ( entregues)?? O Governo. E no nosso dia-a-dia: qual a concorrência que existe na distribuição de combustíveis nos postos?? Qual a concorrência que existe nos preços do pão francês nas padarias e supermercados?? Quantas empresas de ônibus gerem o serviço de transporte municipal nas cidades brasileiras?? Quantas empresas dominam o negócio lucrativo do transporte rodoviário interestadual?? Quantas empresas de energia elétrica existem em sua cidade?? Quantas empresas dominam o mercado de pedágio nas estradas estaduais e federais ( somente as estradas em boas condições)?? Onde está então a concorrência e a competição de mercado, tão caras aos patetas liberais??

              Como se vê, aqueles que defendem o Liberalismo enquanto doutrina parecem jogar o jogo da “ raposa guardiã do galinheiro”. A raposa sempre criticando as galinhas do galinheiro, para que pudesse tomar conta do mesmo e comer sozinha cada vez mais carne de frango. Parece que o Liberalismo enquanto doutrina filosófica deveria ter seu nome modificado para “ Vampirismo” ou “ carrapatismo estatal camuflado”, seria mais coerente com suas propostas e ações. Na verdade, a última coisa que um genuíno liberal deseja é que o governo acabe, pois isso seria retirar o sangue que alimenta seus intestinos putrefatos pela ganância e pela exploração do povo. E por fim, fica então a sugestão aos liberais: já que vocês querem privatizar tudo, a saúde, a educação, as empresas estratégicas, a segurança, a previdência privada, que tal privatizarmos também os Governos e os impostos que alimentam a voracidade de suas empresas falidas?? Isso não seria o ápice dessa teoria macaqueada chamada de Liberalismo?? Fica então a sugestão!!